segunda-feira, 4 de julho de 2011

Os cuidados para enfrentar o inverno frio e úmido de Pelotas


Os cuidados para enfrentar o inverno frio e úmido de Pelotas
            Fonte: www.diariopopular.com.br  
Por Tânia Cabistany 
          
Pelotas. Inverno em Pelotas é sinônimo de temperaturas muito baixas e de umidade. Essa associação pode trazer danos à saúde, caso não sejam observados alguns cuidados que as pessoas devem ter para se proteger do frio e de ambientes cuja umidade acaba produzindo mofo.
Conforme o médico Waldemar Barboza, os ambientes devem ser aquecidos, mas evitadas as temperaturas excessivamente elevadas. A preferência deve ser dada a equipamentos que não produzam chamas, pois consomem o oxigênio.
Aparelhos de ar condicionado devem ter seus filtros submetidos à limpeza nesta época e a seguir, periodicamente, para evitar a proliferação de microorganismos causadores de doenças. "Algumas pessoas utilizam queima de carvão, o que pode ser muito perigoso em ambientes fechados", adverte. No entanto, com os cuidados adequados, o médico frisa que o aquecimento ambiental é um importante aliado contra as doenças mais comuns no inverno.pois acaba por dissipar a umidade.
Primordial é manter-se agasalhado, com especial atenção para as extremidades e a face, evitando passar de um ambiente muito quente para o extremo frio, observa Barboza. Segundo ele, manter-se bem hidratado, preferencialmente por meio de líquidos quentes, como os chás, é outra recomendação para enfrentar as baixas temperaturas do inverno pelotense.
Destaca que o cloro é o mais eficiente removedor de mofo, mas há quem tenha alergia e intolerância ao produto, por isso recomenda alvejantes à base de água oxigenada e outros produtos químicos eficazes. Pondera que para os roupeiros também existem produtos adequados, embora caros.
Alimentação
. Uma ingestão adequada de alimentos para manter o aporte calórico necessário à atividade corporal na época mais fria também deve ser observado. De acordo com Barboza, nunca se deve fazer uso de bebidas alcoólicas com o pretexto de "aquecer" o corpo. "Essas bebidas não aquecem nada, oferecendo apenas a ilusão de calor pela dilatação da superfície", explica.
DICAS DE SAÚDE

- Lavar as mãos frequentemente, não tocar nos lábios e olhos, e evitar contato próximo com pessoas gripadas são atitudes capazes de reduzir o contágio pela gripe.
 
– Sintomas e sinais de aparente gripe ou resfriado, que pioram a cada momento, merecem a busca de atendimento médico, pois podem estar manifestando infecção secundária. Antibióticos apenas sob orientação médica.
– Idosos e hipertensos de qualquer idade não devem tomar os chamados "antigripais", que contêm vasoconstritores, como descongestionantes, em suas fórmulas.
– Em conseqüência do frio, portadores de hipertensão e doença coronariana podem necessitar de ajuste nas doses dos medicamentos e por esta razão devem fazer uma visita ao seu médico logo no início da estação fria.
Para quem enfrenta a lida doméstica
Para a trabalhadora doméstica Vera Lúcia Duarte Lessa, 51 anos e há 28 prestando serviços na mesma casa, inverno não chega a ser problema, embora admita que "o trabalho é dobrado em tudo". Bem disposta, ela conta que tudo o que tem para fazer aumenta. A começar pela roupa, que é maior volume para lavar, já que a indumentária da estação é mais pesada.
E na residência onde trabalha não existe máquina de lavar. "Nunca teve e nunca achei necessário. Em casa eu tenho, aqui não. Mas gosto de lavar à mão. Às vezes já lavo em casa antes de sair", disse. Seu expediente na casa de Hugo Teixeira Pino, 93, começa às 8h30min: "Quando chego abro a casa para arejar, depois mantenho o ambiente mais aquecido. Volta e meia dou um chazinho para eles (Hugo é viúvo e mora com a cunhada, que vai fazer 90 anos). Tenho que arejar a casa por causa dessa gripe que está por aí e cuidar da alimentação deles", relata a dedicada doméstica.
Vera Lúcia descobriu, ao longo dos anos, que colocando vinagre na água acaba com o mofo nas paredes. "Acabou, não voltou mais", assegura, ao acrescentar que esse problema ela não enfrenta mais. Enquanto conversa com a reportagem, prepara espinafre que, segundo ela é bom para os idosos nesta época do ano, e um feijão carioquinha. "Meu patrão comem com abobrinha antes do café", conta. Vera Lúcia vai se aposentar este ano, mas não pretende parar de trabalhar. "Vou continuar cuidando dele", afirma, enquanto mexe nas panelas e um cheiro maravilhoso de comida exala e toma conta do apartamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário